Almeida

«A “Estrela do Interior” tem uma gloriosa história. O seu nome, de origem árabe, filia-se na situação planáltica que tem e a sua história anda profundamente ligada à das lutas luso-castelhanas. A antiguidade e a nobreza da vila atestam-na o espaçoso templo ou magnífico quartel.»

Mêda

«Povoação muito antiga, situada numa elevação a cerca de 20 km do rio Douro, Mêda leva-nos ao encontro da História, com os templos, os Paços e os Solares, alguns deles do século XVIII, considerado o século de ouro da arquitectura e da escultura portuguesas. Igualmente merecedores de destaque são os deliciosos vinhos que aí se produzem.»

Pinhel

«Erguida na margem esquerda do Côa foi, durante muitos anos, praça fronteiriça, sendo que dessa época datam a primitiva muralha e o castelo. Urbe cheia de glórias passadas, conserva ainda edifícios que remetem para outras eras, como a Igreja de Santa Maria do Castelo, a Igreja da Misericórdia, o pelourinho, a Casa Grande, a Igreja da Trindade, ou a ponte de dois arcos.»

Sabugal

«Concelho fronteiriço, foi dotado de boas fortificações, erguendo-se aí cinco castelos, que relembram o passado glorioso nas lutas com os estados vizinhos. Essas épocas recuadas ainda se sentem palpitar nas ruas das povoações, quando o visitante se encontra com um pelourinho, uma ponte romana, uma fortaleza e as suas muralhas, uma torre de menagem, ou simplesmente com as lendas e tradições que o levam a sentir os séculos recuarem.»

Trancoso

«A história da lendária vila de Trancoso, berço dos Doze de Inglaterra e do Bandarra, anda profundamente ligada à de Portugal. Com o seu ar medieval, rodeada de muralhas, com as suas judiarias, o castelo com torreões Trancoso acolhe o visitante, despertando-lhe a atenção, evocando batalhas e acontecimentos marcantes.»

Penamacor

Os  vestígios  mais   remotos da  ocupação do  território  apontam  para  horizontes  pré-históricos (Neolítico final) e proto-histórico ( Idade do Bronze e Idade do Ferro) dispersos por vários locais da actual área concelhia.
Por aqui terão cruzado celtas e túrdulos nas suas deslocações para o SW e NW peninsulares, respectivamente, em tempos proto-históricos. Quando as legiões romanas chegaram, depararam com a resistência dos lusitanos, tribos aguerridas que viviam essencialmente da pastorícia.

Voltar ao topo